sexta-feira, 10 de junho de 2011

exílio de andarilho




minha terra tem palmeiras,
grêmio, cruzeiro, ceará
sinfonias de pardais nas bananeiras
cantam para a majestade, o sabiá

minha terra tem palmares
tem pau d'água,  tem hangares
e o sabiá sabia já :
tem tico-tico no fubá

minha terra tem palmito
botulismo e periquito,
mas eu hei de ouvir cantar
uma sabiá, sei lá

minha terra tem palmira
morena que vem de angola.
a sabiá lá na gaiola
fez um buraquinho...

voou, voou, foi pra Belém
tem pena d’eu, sabiá,
me leva daqui também
eu quero voltar pra lá

pra minha terra querida,
da verde e rosa mangueira.
e a liberdade (pre)sumida?
já procurou nas laranjeiras?

( este autoexílio
está me deixando maluquinho:
onde já se viu rimar
 canção, saudade e passarinho?)



.

5 comentários:

Carla Farinazzi disse...

Maria Paula...

Amo seus poemas

Beijo

Carla

Zélia Guardiano disse...

show, Maria Paula!
Show!
Você me lembrou Stanislaw Ponte Preta...
Grande abraço!

Assis Freitas disse...

vc concentrou gonçalves dias, murilo mendes, cacaso, drummond, quintana, oswald, paulo paes e mais, great

abraço

Marcantonio disse...

Como esse sabiá já voou por aí, já pulou de galho em galho, já foi e já voltou do exílio! Mas aqui ele faz a muda das penas no contraponto inteligente da ironia e do bom humor!

Abraço.

Mirze Souza disse...

Demais!

Continue voando Sabiá!

Tem pena d'Eu!

MARAVILHOSO!

Beijos

Mirze