sábado, 18 de junho de 2011

crer para ver





Desconfie dos que falam consigo próprios e guardam silêncios com o outro.
Desconfie dos que sorriem sem intenção de encantar.
Desconfie dos que brincam com os velhos e se comovem com a infância.
Desconfie dos que plantam flores.
Desconfie dos que sentem, dos que amam.
Desconfie sempre.
.
Eles aprenderam o caminho.

.

5 comentários:

Fouad Talal disse...

isso mp!
é isso!

beijos!

Aline Barra disse...

"Mire e veja"... já dizia o sabido Guimarães!

Muito bom, Maria Paula!!! Bjs.

Blog do Pizano disse...

Vou mandar este poema para minha filha

na mosca

abs, Maria Paula

Cynthia Osório disse...

Mulher, não sei se já disse isso aqui, mas sou tua fã!Muito talento, muito criatividade, muita sensibilidade!!

Talita Prates disse...

Sabedoria mineira muito bem dita.

Sou fã.

Talita