terça-feira, 26 de julho de 2011

demorô

( pra Malu)



confunde ser com estar
por pouco se descabela
sabe de dor e alegria
não se separa do allstar
vive a prática na teoria
eu me pergunto se ela
não é a própria Poesia

.

5 comentários:

Rômulo disse...

Com certeza Malu-Menina, vive sonhos na confusão das horas, que germina a chegada da Mulher. Confusão que se esvai nos degraus de uma Passagem. Passagem de Vida,
formada de canto e música no silêncio dos versos... Talvez.
NOTA:
Maria Paula, postei para o seu conterrâneo Márcio Ares também de Minas Gerais - celeiro de poetas - usando seu espaço na dedicação a Malu ("demorô"). Assim fiz, porque no blog do Márcio não há possibilidade de meu acesso, por eu não ser cadastrado. Desculpe-me e obrigado. ...... Rômulo

Assis Freitas disse...

o verso que bem lhe cabe,


beijo

MIRZE disse...

LINDO!

Maria Paulo, você demorô, mas acertou em cheio!

Beijos

Mirze

Maria Paula Alvim disse...

Você resumiu super bem, Rômulo: a vida, composta de rituais de passagem, confusões e "talvezes". Adorei!!!

Mirze e Assis Freitas, obrigada, mais uma vez, pelas doces palavras de incentivo.

Daniela Delias disse...

Que coisa mais bonita! São lindos os teus poemas. Este, em particular, é uma delícia! Bjão...