sábado, 21 de janeiro de 2012

Erra uma vez




Sua vida era um faz de contas.
A pagar.

.

4 comentários:

Pedra do Sertão disse...

Esse é o jogo da vida de verdade!

Abraço,

Araceli

www.pedradosertao.blogspot.com

Fabrício Franco disse...

Será impressão minha, mas esse miniconto já não foi parte de um outro escrito seu? Tenho a nítida ideia de ter lido isso em algum poema (?) seu. Será que é 'déjà vu'?

Maria Paula Alvim disse...

Está atento,hein, Fabrício?!
Fico muito honrada.

O recurso " faz de contas a pagar" ( que não é criação minha, by the way rs ) faz parte do poema Conto do vigário, sim.

O objetivo do mini conto é contar uma longa história em uma ou duas frases, incluindo o título. A garota deste conto errou uma só vez, entrou na onda de agiotas/ empréstimos bancários e agora não sai da roda viva de contas a pagar.

Conto do vigário

nos dentes inox
pras rugas botox
silicone nos peitos
cabelos mais que perfeitos

possuir a máquina
apática plástica
custa uma fábula
cédula sobre célula

dizê-la sua
é sucessão
de faz de contas
a pagar

Beijo, obrigada pela atenção aos meus textos

Talita Prates disse...

adorei!

nesse faz de conta eu acredito.

:s

bjo!