sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

limites



pra tudo é preciso limite
beijo demais dá queilite
engolir sapo, gastrite
sexo sem freio, uretrite
paixão demais é dinamite
amor pra sempre
quem puder acredite



2 comentários:

Fabrício Franco disse...

Maria Paula,

Já falei que gosto deveras de seus poemetos? Pois é, gosto. Sínteses me atraem, quanto mais poéticas.

Abraços!

Verso Aberto disse...

menos para seus belos versos, Maria Paula

abração