quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

poeminha do encontro mineiro



se a gente se visse
face a face
na leitura do pátio savassi
se se criasse um impasse
você cheio de classe
minha língua colada

com superbond

se por acaso depois

 a gente se reencontrasse
na saraiva do diamond
você me perguntasse:
te conheço de onde,
eu sem graça feito alface:
do meu sonho, suponho

Um comentário:

Verso Aberto disse...


o amor mineiro esconde o disfarce rssrs

abração Maria Paula