sábado, 18 de setembro de 2010

Entre quatro paredes


Quando namorou o matemático, teve orgasmos múltiplos... de quatro.
Com o iogue o sexo era, tipo assim, tântrico.
O pintor seria o grande amor da sua vida, não fossem as brochadas.
Está com um analista de sistemas, mas anda desanimada que só vendo.
É que ele prefere ao ponto G o ponto com.

.

9 comentários:

Domingos Barroso disse...

Intermináveis noites de angústias
à nossa ilustre personagem.
Pois, de fato: enquanto reina o ponto com, o ponto g solitário entristece.

Ótimo, Maria Paula.
(rio baixinho).

João disse...

HAHAHAHAHAH Chega a ser engraçado do modo que voce cita as vulgaridades. Abrçs

Lara Amaral disse...

hahaha...

Boa, Maria!

Beijo.

nydia bonetti disse...

Tipo assim... gostei muito. hahahaha... Que delícia de textos, Maria Paula! Beijos!

Hercília Fernandes disse...

Adoro as sutilezas de sua língua, Maria Paula. Esta é deliciosa!
Beijo,
H.F.

Ana F. disse...

Ah, os homens, seus ofícios e sua razão!

Zatonio disse...

Ri à desbragada...muito bom!!!

Rafael Castellar das Neves disse...

hahaha...boa, a do pintor foi a melhor!!

[]s

NDORETTO disse...

Uma graça! Adorável!
Bj

ND