sexta-feira, 1 de abril de 2011

custe o que custar




SEM FUNDOS
transtorna,
retorna, contorna.
até que ele a ex-torna
CLANDESTINA
por fora forte, citrina
lá dentro, nina e confina
delicada menina
A PRIMEIRA PEDRA
não questiona, vende a alma
faz-se doce, terna, calma
mas não mora na zona
.

2 comentários:

Talita Prates disse...

o segundo já me é familiar... rs.

adorei, Maria Paula.

Um beijo grande,

Talita
História da minha alma

Blog do Pizano disse...

nos seus versos as palavras se apaixonam umas pelas outras. muito bom mesmo. abs