segunda-feira, 4 de abril de 2011

divina loucura


tirinha de Carlos Ruas

( rondel )

Há quem pense ser loucura
Refletir sobre o destino
Há quem olhe com censura
Ou ria do desatino

Pra mim, a mente madura
Se faz eterna, menino
Há quem pense ser loucura
Refletir sobre o destino

Cada qual faz sua leitura:
Pra uns, a vida é cassino
Pra outros, grande aventura
Eu creio ser dom divino
Há quem pense ser loucura...
.

2 comentários:

Máximo Marques disse...

Minha aposta: Ainda vivo muito antes de ver outra pessoa tão bem, tão fácil. obrigado pelas diversas leituras.

Eternas desculpas,

Máximo

tenenteares disse...

Paula,

Este poema tem algo de simples misturado ao sublime. O universal no pequeno filósofo-narrador. É arma certa para o alvo mesmo assoberbado com o mundo a esmo como tem sido a regra.

Beijo na alma